Presidente taiuanês usará TV para explicar escândalo

O presidente taiuanês, Chen Shui-bian, explicará neste domingo, perante as câmaras de televisão, sua participação e a de sua esposa em supostos crimes de corrupção. A emissora de TV taiuanesa "ETTV" anunciou o discurso de Chen, sem especificar a hora, no qual o governante disse que apresentará provas de que não foram registrados atos de corrupção no uso de um orçamento presidencial. O primeiro-ministro, Su Tseng-chang, anunciou que vai renunciar se o público taiuanês não for convencido pela explicação presidencial. A primeira-dama taiuanesa, Wu Shu-chen, foi acusada formalmente, na sexta-feira, de corrupção e falsificação de documentos em relação ao orçamento, e os fiscais também acusaram Chen de praticar os mesmos crimes. Em função de sua imunidade constitucional, o presidente não pode ser processado até que renuncie ou termine seu mandato. O governante Partido Democrata Progressista (PDP) deu três dias para Chen explicar perante o povo sua participação no escândalo, e decidirá sobre sua postura após avaliar a resposta do presidente e da população de Taiwan. Chen reconheceu ter utilizado faturas alheias para justificar despesas de seu orçamento discricional, mas assegura que esta "ilegalidade técnica" se deve ao que é utilizado dentro da diplomacia secreta. Na sexta-feira, o fiscal Eric Chen disse que existem provas suficientes de que Chen e Wu embolsaram US$ 455 mil de um fundo estatal. A oposição e a Campanha para Destituir Chen realizaram algumas manifestações em Taipé, mas seus dirigentes pediram ao público que dê tempo ao Partido Democrata Progressista para conduzir a crise.

Agencia Estado,

05 Novembro 2006 | 03h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.