Presidente taiwanês detém moção de censura no Parlamento

O presidente de Taiwan, Chen Shui-bian, cuja credibilidade se encontra abalada por diversos escândalos de corrupção que afetam parentes e colaboradores, deteve nesta sexta-feira no Parlamento uma moção de censura proposta pela oposição.A medida para destituir Chen, no cargo desde 2000, recebeu o apoio de apenas 116 dos 220 deputados do Legislativo.A legislação taiwanesa estabelece que, para a aprovação deste tipo de recurso, é necessário o respaldo mínimo de dois terços do Parlamento, que, com a composição atual, seria de 147 votos.Os 85 parlamentares do Partido Democrata Progressista (PDP), no Governo, votaram contra a proposta, mas seus aliados da União de Solidariedade de Taiwan (UST) votaram nulo.No mês de junho, a oposição apresentou a primeira moção de censura ao presidente. Taiwan deve realizar eleições presidenciais em 2008, se a oposição não conseguir destituir Chen antes.Um milhão de pessoas, segundo os organizadores, se manifestaram para pedir a renúncia do presidente taiwanês na última terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.