Presidente Umaru Yar'Adua retorna à Nigéria após 3 meses

Yar'Adua estava internado na Arábia Saudita; não há informações sobre estado de saúde do presidente

Reuters,

23 de fevereiro de 2010 | 23h15

O presidente da Nigéria, Umaru Yar'Adua, voltou a Abuja, capital de seu país, nesta quarta-feira, 23, após ter ficado internado por mais de três meses em um hospital na Arábia Saudita para se tratar de uma doença no coração, disseram fontes do governo.

 

Não foram feitas declarações imediatas sobre o estado de saúde do chefe de estado de 58 anos, cuja ausência levou a nação mais populosa da África a iminência de uma crise constitucional e ameaçou a paralisação dos negócios do governo, até o vice-presidente Goodluck Jonathan ser autorizado a agir como presidente há duas semanas.

 

Dois aviões pousaram na ala presidencial do aeroporto internacional de Nnamdi Azikiwe, em Abuja, e um deles foi aguardado por um ambulância que partiu com uma forte escolta policial pouco depois do pouso do avião, afirmou uma fonte à Reuters.

 

Soldados escoltaram a estrada principal que liga o aeroporto à cidade, uma operação padrão quando o presidente está viajando.

 

"Ele acabou de pousar no aeroporto de Abuja em um avião saudita escoltado pelo avião presidencial. Agora ele está a caminho da vila presidencial", disse uma fonte do governo.

 

O governo da Nigéria e oficiais da presidência não foram encontrados para comentarem o retorno de Yar'Adua.

 

O presidente nigeriano estava internado devido a uma pericardite, uma inflamação na membrana que envolve o coração e pode restringir o batimento cardíaco. Além disso, Yar'Adua também sofre de uma doença crônica nos rins.

 

As implicações políticas de seu retorno da Arábia Saudita dependem do estado de saúde de Yar'Adua.

 

Jonathan poderia continuar agindo como presidente até Yar'Adua se recuperar e estar preparado para assumir o poder. Se seu estado de saúde for tão grave a ponto de impedir que ele reassuma o governo, Jonathan poderia continuar na presidência e nomear um novo vice.

 

Novas eleições são esperadas na Nigéria em abril e há poucas expectativas de que Yar'Adua concorra à reeleição.

 

A presidência, o partido e o gabinete não deram detalhes sobre a gravidade do estado de saúde do presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.