?Presidente usa Justiça como arma de vingança política?

O governador do Estado opositor de Miranda, Henrique Capriles, diz que a oposição já organiza mobilizações para pedir a realização de um referendo que reverta as medidas centralizadores adotadas pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, nos últimos dias. Capriles, que já esteve preso por 4 meses, contou ao Estado como tem sido governar sob as constantes ameaças chavistas : Como foram esses primeiros meses de governo?Difíceis. Chávez tenta nos amedrontar e esvaziar nossas atribuições por decreto. Já nos tomou 18 hospitais e agora quer 200 ambulatórios. Usa os tribunais e a Guarda Nacional para reverter medidas de trânsito. Quer controlar tudo, mas não para melhorar os serviços à população e sim para prejudicar meu trabalho. Como o pacote econômico de Chávez afetará os Estados opositores? Perderemos muitos recursos. No caso de Miranda, serão US$ 100 milhões. Pela Constituição, os recursos que o governo central repassa para os Estados são calculados com base na receita do petróleo. Chávez falou em se endividar para manter seus gastos, mas os empréstimos não vêm para os Estados. Como a oposição pretende responder às medidas centralizadoras?Estamos organizando mobilizações e queremos convocar um referendo (para reverter a lei que passa para o governo central o controle de portos, aeroportos e estradas). Mas é a população quem deve reagir, pois é a principal prejudicada por essas medidas que ampliam o poder de Chávez e revertem a descentralização.A prisão do governador Manuel Rosales foi decretada...Eu também estive preso por 4 meses, acusado de atacar a embaixada de Cuba no golpe de 2002. Esse governo usa a Justiça como arma de vingança política. Não tenho dúvidas de que Rosales será mesmo detido. Isso aqui é uma bomba que todos os dias cresce. Espero que não estoure. R.C.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.