Presidentes do Mercosul devem anunciar apoio a Evo

Os presidentes dos países do Mercosul decidiram emitir "fortes apoios" ao governo do presidente da Bolívia, Evo Morales, e "ajudá-lo no que for necessário para enfrentar a crise político-institucional", informaram fontes do governo argentino. A situação na Bolívia preocupa os presidentes e provocou uma mobilização dos líderes, hoje, por meio de telefonemas entre os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, da Venezuela, Hugo Chávez, e o próprio Evo Morales.Eles acertaram a distribuição de notas, separadamente, pelas respectivas chancelarias, em repúdio aos ataques violentos ao governo de Morales e em defesa da democracia. A Argentina avalia o envio de uma missão diplomática que se juntaria ao ministro-interino das Relações Exteriores do Brasil, Samuel Pinheiro Guimarães, e ao assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, que viajaram hoje para La Paz. O objetivo de ambas as missões é tentar encontrar uma solução negociada entre o governo de Evo Morales e a oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.