Todd Heisler / NYT
Todd Heisler / NYT

Presidentes dos EUA e Irã conversam pela primeira vez desde 1979

Obama telefonou para Rohani e afirmou acreditar em um acordo sobre a questão nuclear

O Estado de S. Paulo,

27 de setembro de 2013 | 13h17

(Atualizada às 17h05) NOVA YORK - O presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou, em pronunciamento feito nesta sexta-feira, 27, que telefonou para o presidente iraniano, Hassan Rohani, na primeira conversa direta entre líderes dos dois países desde 1979.

Obama afirmou que o telefonema mostra "meu respeito ao povo iraniano" e disse acreditar ser possível alcançar um acordo sobre a questão nuclear, pedindo ações "transparentes e confiáveis".

Mais cedo, Rohani elogiou o discurso de Obama na abertura da sessão de debates da Assembleia-Geral da ONU, na terça-feira. Para Rohani, sua eleição criou um "novo ambiente" que abre caminho para uma melhor relação com o Ocidente. O iraniano disse ainda que não se reuniu com Obama por considerar que não havia tempo suficiente para se organizar um encontro tão importante.

"Ao conversar com lideranças europeias e também ao escutar o senhor Obama, me pareceu que eles adotaram um tom diferente em relação ao passado", disse Rohani em entrevista nos EUA. "Acredito que isso seja um passo positivo para reorganizar as diferenças entre o Irã e o Ocidente."

Sobre um encontro com Obama - que chegou a ser especulado ao longo da semana, mas descartado por autoridades iranianas - Rohani afirmou que a reunião não foi levada adiante porque os dois lados estavam convencidos de que haveria pouco tempo para planejá-la. Além disso, o líder persa deu a entender que membros da linha-dura do regime resistem a uma aproximação nesses termos.

"Depois de 35 anos de grandes tensões entre o Irã e os Estados Unidos persistem um grande número de questões", declarou. "Um encontro inédito entre os presidentes naturalmente teria complicações."

Segundo ele, porém, seu país saiu esperançoso da reunião entre os ministros das Relações Exteriores do Irã, dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança (CS) da ONU e da Alemanha realizada ontem em Nova York com o objetivo de relançar as negociações em torno do programa nuclear iraniano. Os representantes do Irã e do chamado P5+1 retomarão as conversações no mês que vem em Genebra.

"Na próxima reunião de Genebra, o Irã apresentará seu plano. O Irã preparará seu plano e o apresentará", de modo que nessa reunião possa ser dado "mais um passo efetivo para solucionar a questão nuclear", disse Rohani. / REUTERS, AP e EFE

Reprodução/Twitter

Mais conteúdo sobre:
IrãHassan Rohani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.