Presidentes egípcio e sírio conversam sobre Iraque

O presidente egípcio, Hosni Mubarak, e seu colega sírio, Bashar Assad, conversaram nesta segunda-feira sobre um possível ataque americano contra o Iraque, na tentativa de demonstrar a solidariedade no mundo árabe. Os dois líderes acreditam que deve-se esgotar todos os meios pacíficos para lidar com o conflito entre Iraque e Estados Unidos para evitar a guerra na região. Além disso, eles querem o rápido retorno dos inspetores de armas da ONU ao Iraque. Em um comunicado conjunto, Assad e Mubarak afirmaram que a oposição internacional a um ataque a Bagdá deveria ser destacada. Ambos os líderes disseram que todos os esforços para enfrentar a "crítica situação" deveriam ser direcionados pelas Nações Unidas. Diplomatas árabes na capital egípcia acreditam que a intensa gestão diplomática que se nota recentemente entre os líderes árabes revela a preocupação de que não se poderia impedir um ataque dos EUA ao Iraque e de que eles serão obrigados a enfrentar suas conseqüências.Os diplomatas afirmam que as nações árabes, entre elas Egito e Arábia Saudita, tentam buscar vias para reduzir suas perdas políticas e econômicas diante da possibilidade de uma mudança de regime em Bagdá, que poderia resultar no establecimento de um governo aliado dos EUA. Mubarak visitou a Arábia Saudita na última quarta-feira e manteve conversas com o príncipe Abdullah sobre o conflito entre EUA e Iraque. A Arábia Saudita se opõe a um ataque, mas tanto o Egito como o reino saudita manifestaram que não se oporiam a essa iniciativa, desde que ela seja apoiada pelas Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.