Presidentes resumem prioridades em cerimônia

Historicamente, os ocupantes da Casa Branca têm seu grande momento no ano ao discursar para sua nação no fim de janeiro. No discurso do Estado da União, eles delineiam as suas ambições para o ano e expõem também suas propostas para o futuro dos EUA e do mundo.

GUSTAVO CHACRA , CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2012 | 03h09

Nos anos de George W. Bush, o foco foi a política externa, depois do 11 de Setembro. Uma década atrás, o ex-presidente criou a expressão "eixo do mal" justamente nesse discurso ao se referir a seus adversários na "guerra ao terror", um termo também inventado por ele.

A crise econômica de 2008 eclodiu nos últimos meses de Bush na presidência. E o presidente Barack Obama, ao assumir o poder, no ano seguinte, passou a dar prioridade à situação econômica americana em seus discursos.

Mas em seu primeiro discurso do Estado da União, em 2009, que não é considerado oficial por ter ocorrido no primeiro ano de seu mandato, o novo ocupante da Casa Branca prometeu fechar Guantánamo, promessa que, até hoje, não foi cumprida pelo presidente.

Neste ano, ele poderá dizer que retirou as tropas do Iraque, conforme havia prometido em 2009.

Nos três discursos do Estado da União feitos pelo atual presidente até agora, o Brasil foi citado apenas uma vez. No ano passado, Obama anunciou que viajaria ao País em março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.