Preso estuprador acusado de estrangular universitária no Tennessee

Um estuprador suspeito de estrangular uma universitária com seu biquíni tornou-se suspeito de outros dois estupros ocorridos recentemente no Alabama e no Tennessee, informaram as autoridades nesta quarta-feira. Jerry Buck Inman vem sendo interrogado desde a terça-feira, quando foi preso perto da casa de seus pais em Dandridge, Tennessee. "Parece que ele estava andando pelas ruas, procurando pessoas vulneráveis (mulheres), (...) estuprando e, progressivamente, piorando (com a violência sexual)", disse o Xerife do Condado de Jefferson, David Davenport. "Isso pode ser apenas a ponta do iceberg." Inman, de 35 anos, foi preso devido aos mandados de prisão por seqüestro, estupro e assassinato expedidos contra ele por causa da morte da estudante universitária Tiffany Marie Souers, ocorrida há duas semanas. Exames de DNA feitos a partir de vestígios encontrados no apartamento da garota levaram até Inman. "Ele não conhecia a vítima", afirmou Davenport nesta quarta-feira. "Segundo nossas informações, ele estava dirigindo pela vizinhança (da vítima), viu ela e gostou de sua aparência."Davenport disse que espera que Inman seja acusado por uma tentativa de estupro no Condado de DeKalb, no Alabama - ocorrido em 23 de maio - e por um estupro em Sevierville, no Tennessee - ocorrido em 24 de maio. Segundo o Xerife, "Inman fez algumas confissões confirmando" ser o responsável pelos crimes. Davenport disse que as vítimas identificaram Inman devido a suas tatuagens. Gravações da prisão da Flórida indicam que o criminoso possui várias tatuagens de caveiras e uma imagem de um morcego tatuado em seu pescoço. O investigador do Condado de DeKalb, Rhonda Jackson, disse nesta quarta-feira que um amigo da vítima do ataque no Alabama afirmou que a garota reconheceu Inman em um noticiário. Por isso, o investigador ligou para as autoridades do Tennessee e contou em detalhes a tentativa de estupro ocorrida em sua cidade; Inman, então, confessou ser o autor do ataque, afirmou Jackson. Em sua primeira sessão na corte do Tennessee ocorrida nesta quarta-feira, Inman disse ao juiz que não tentará evitar a extradição à Carolina do Sul para responder as acusações pela morte de Souers. Souers, uma estudante de engenharia civil de 20 anos, estava vestindo apenas o sutiã quando foi achada, em 26 de maio, morta no chão de seu quarto. O top ainda estava ao redor de seu pescoço, e seus punhos e tornozelos estavam amarrados. Amostras do DNA de Inman foram encontradas na cena do crime.Inman foi fichado como estuprador na Flórida e na Carolina do Norte. Davenport afirmou que as autoridades da Carolina do Sul pediram para seu departamento procurar Inman, cuja família havia se mudado para a localidade em 2000. As autoridades investigaram a casa de seus parentes e encontraram Inman em um carro. O oficial Bob McCoig abordou o carro e prendeu o criminoso. "Seu veículo tinha vários itens relacionados ao crime", McCoig disse nesta quarta-feira. Vera McArthur, mãe de Inman, contou que seu filho é bipolar e suicida. Ela afirmou que ele estava trabalhando em uma construção no Tennessee, mas não acredita que Inman esteve na Carolina do Sul recentemente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.