Preso narcotraficante mais procurado da Colômbia

O governo da Colômbia anunciou hoje a prisão do narcotraficante mais procurado do país, Daniel Rendón, conhecido como Don Mário. Segundo o chefe de imprensa da Presidência, César Velásquez, Rendón foi preso na região do Urabá, no Departamento (Estado) de Antioquia, no norte colombiano. Há contra ele um pedido de extradição para os Estados Unidos. A polícia colombiana afirmou que mais de 300 homens participaram da operação de captura.

AE-AP, Agencia Estado

15 de abril de 2009 | 15h49

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, que está no Rio de Janeiro, interrompeu um encontro com o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva para fazer o anúncio. "Esta manhã interrompi a reunião com o presidente Lula (...) dando a ele a boa notícia de que um dos ex-paramilitares reincidentes (Rendón), um dos criminosos mais temíveis do mundo, foi capturado na selva colombiana, depois de vários meses de paciente perseguição", disse Uribe a jornalistas.

Rendón tem 43 anos e nasceu no município de Amalfi, na Antioquia. Ele é vinculado também aos fundadores da Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) Fidel, Carlos e Vicente Castaño Gil. Don Mário é irmão de outro importante chefe paramilitar, Freddy Rendón Herrera, apelidado Alemão, detido após submeter-se à Lei de Justiça e Paz, quando se desmobilizou.

O prefeito de Medellín, Alonso Salazar, afirmou que "pelo menos 40% das mortes violentas" registradas na cidade nas últimas semanas são obra do grupo de Don Mário. Em entrevista à rádio Caracol, Salazar disse temer que a captura possa criar uma onda de violência, "mas é preferível isso que ter esse tipo de pessoas soltas". A polícia oferecia uma recompensa de 5 bilhões de pesos colombianos pela captura de Don Mário, o equivalente a US$ 2 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.