Preso nos EUA é acusado de ter ligações com Al-Qaeda

O bósnio naturalizado americano Adis Medunjanin, de 25 anos, afirmou perante o tribunal federal do Brooklyn, nos EUA, que é inocente de acusações de que teria viajado ao Paquistão para receber treinamento militar da Al-Qaeda. Ele foi preso na sexta-feira, em meio às investigações sobre Najibullah Zazi, motorista de origem afegã de 24 anos preso em setembro do ano passado sob acusações de ter planejado um ataque a bomba em Nova York.

AE-AP, Agencia Estado

09 de janeiro de 2010 | 20h23

A promotoria afirma que Zazi, Medunjanin e um terceiro homem, Zarein Ahmedzay, de 24 anos, viajaram juntos ao Paquistão em agosto de 2008. Os três frequentaram o mesmo colégio e viveram por anos na mesma vizinhança em Nova York.

Ahmedzay, que também foi preso na sexta-feira, disse em uma audiência ser inocente das acusações de ter mentido ao FBI durante as investigações sobre os lugares em que ele visitou em 2008. Tanto ele quanto Medunjanin já haviam sido ligados à investigação sobre Zazi em setembro.

O advogado de Medunjanin, Robert C. Gottlieb, disse a repórteres fora do tribunal que a alegação de inocência de seu cliente foi "enfática". Segundo ele, as autoridades impediram Medunjanin de entrar em contato com a família e interrogaram o rapaz sem a presença de um advogado. "O interrogatório foi ilegal", avaliou. A promotoria não quis comentar o assunto.

Medunjanin permanecerá preso sem direito à fiança até uma audiência marcada para quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
Al-Qaedabósniobomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.