Preso por atentados na Bolívia se diz "Super-Homem dos Perdedores"

A polícia boliviana está investigando os motivos que levaram um americano a detonar duas bombas em hotéis na noite de terça-feira em La Paz. As explosões mataram duas pessoas e deixaram outras 7 feridas. Os oficiais especulam que o motivo dos ataques possa ser religioso. O americano estava consciente de suas ações e esperava que as bombas atraíssem a atenção da mídia para que ele ganhasse aliados, explicou o promotor, Carlos Fiorilo, na quinta-feira. O homem, de 24 anos, foi detido na quarta-feira junto com sua namorada uruguaia, Alda Ribeiro, de 45 anos. Ele se descreveu como um advogado saudita, um reverendo pagão, e até como um vampiro. Anteriormente conhecido como Triston Jay Amero, ele já usou nomes como John Scheda e Lestat Claudius de Orleans e Montevideo. Lestat é o nome de um vampiro de um romance de Anne Rice. Contudo, este Lestat é bem diferente do tipo interpretado por Tom Cruise no filme Entrevista com o Vampiro. Em um texto publicado em seu blog, há cerca de dois, quando estava na Bolívia, ele se descreveu como "tão repulsivo em aparência, vestimentas e práticas religiosas para as mulheres colombianas que nem as prostitutas aceitam meu dinheiro". O americano disse que estava fugindo das autoridades da Califórnia, onde cumpriu pena em prisões juvenis, e tentou por anos renunciar sua cidadania americana enquanto vagava pela América do Sul. Lestat tentou conseguir um "passaporte mundial" em 2003 sob o nome de Amero, mas não conseguiu. Ele voltou a fazer o pedido em 2004, dessa vez com o nome de Lestat Claudius de Orleans e Montevideo, informou o presidente do Serviço de Autoridade Mundial, um grupo de advocacia com base em Washington, cujo passaporte não possui nenhum dos privilégios de passaportes de nações. O site do grupo afirma que seu passaporte "representa o direito inalienável do ser humano de viajar com liberdade pelo planeta Terra". Detalhes das viagens de Lestat estão documentados em um extenso arquivo mantido pelo Serviço de Autoridade Mundial. Ele envia regularmente cópias de vistos e outros documentos informando sobre suas atividades na América Latina. Seus vistos mostram viagens para o Paraguai, Uruguai, Argentina e Bolívia. "Faz um tempo que ele tenta sair do sistema americano. Ele finalmente conseguiu na América Latina", afirma Gallup. O promotor do distrito de La Paz, Jorge Gutierrez, disse que o casal entrou na Bolívia vindo da Argentina e executaram ataques em outras cidades bolivianas mas que não deixaram vítimas. Ele afirmou ainda que o americano já foi preso na Argentina, onde as autoridades o acusaram de tentar bombardear um caixa eletrônico. As explosões em dois hotéis para turistas de La Paz deixaram um homem e uma mulher severamente feridos. Uma cidadã americana identificada como Jessica Wilson recebeu tratamento médico e foi liberada. O outro ferido é um boliviano. O casal detonou 110 cartuchos de dinamite em cada ataque e planejava matar 150 pessoas. A polícia informou que conseguiu evacuar o segundo hotel antes da explosão por volta das 3 horas da manhã de quarta-feira, e impediu os planos do casal para uma terceira explosão no Consulado do Chile, no sábado. No blog de Lestat e em sua comunicação com o grupo de advocacia de Washington, ele repetidamente se descrevia como um "refugiado político" e "O Super-homem dos perdedores", cujo desejo mais intenso era se distanciar dos Estados Unidos. "Eu já fui um cidadão americano, mas agora não tenho país. Você pode escapar dos Estados Unidos muito facilmente", ele escreveu em um grupo do Yahoo em dezembro de 2004.

Agencia Estado,

23 Março 2006 | 17h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.