Preso possível cúmplice da explosão na Finlândia

A polícia finlandesa deteve nesta terça-feiraum jovem de 17 anos acusado de ajudar o estudante de EngenhariaQuímica, Petri Gerdt, a construir a bomba detonada por ele emum shopping center, matando seis pessoas. O jovem detido é o principal suspeito de "proporcionarinformações sobre como uma bomba é fabricada", disse odetetive-chefe Tero Haapala. A polícia, no entanto, não acreditaque o detido estivesse diretamente envolvido na explosãoocorrida na semana passada em um dos maiores centros comerciaisde Vantaa, a cerca de 15 quilômetros ao norte Helsinque. Haapala afirmou que o atacante, Petri Gerdt, de 19 anos,"atuou sozinho. Não havia ninguém com ele no shopping. Noentanto, não temos uma idéia clara sobre seus motivos." O jovem de 17 anos, que não foi identificado, foi detido sobacusações preliminares de "contribuir para um ato grave dedestruição", que pode resultar em uma pena de até sete anos deprisão no caso de menores. Os promotores têm até quinta-feirapara apresentar acusações formais contra o detido. O chefe dos detetives disse também que a polícia estáinterrogando três finlandeses que participavam com o detido deum "chat" conhecido como "fórum das bombas", onde eramtrocados dados sobre a fabricação de explosivos. Gerdt, um jovem de 1,87 m de estatura que jogava basquete,vivia com sua família em um subúrbio elegante de Vantaa eestudava em uma universidade próxima do local da explosão. Segundo Haapala, o jovem não tinha antecedentes criminais,não era filiado a movimento político nem tinha problemasconhecidos de alcoolismo ou drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.