Preso suspeito de matar médico que fazia aborto

O norte-americano suspeito de ser o responsável pelo assassinato de um médico que praticava aborto, o doutor Barnett Slepian, foi detido na França, disseram hoje seus acusadores. James Kopp, de 46 anos, era um dos foragidos mais procurados pelo FBI. O promotor distrital Frank J. Clark, do condado de Erie, disse ter sido informado pelo FBI nesta quinta-feira sobre a prisão de Kopp, mas acrescentou que os agentes não lhe haviam fornecido mais detalhes. O doutor Slepian, de 52 anos, havia regressado da sinagoga e se preparava para jantar em sua casa, no bairro de Amherst, em outubro de 1998, quando foi alvejado por um único tiro através da janela. Desde então Kopp, procedente de Saint Albans, em Vermont tornou-se o alvo de uma caçada internacional. Apelidado de "Cão Atômico" nos círculos antiaborto, até 1990 Kopp foi preso em vários estados por seus protestos contra a lei federal que permitia o aborto.Seu carro foi visto nas imediações da casa de Slepian nas semanas anteriores ao assassinato, e foi encontrado abandonado no aeorporto internacional de Newark, em New Jersey, em dezembro de 1998. Ele foi formalmente acusado pela Justiça estadual e federal, em maio do ano seguinte, de assassinato em segundo grau por violação à Lei de Liberdade de Acesso de Entrada em Clínicas e por usar mortalmente a força contra um médico a favor do aborto. As acusações podem resultar em uma pena de prisão por um período maior do que o de sua própria vida. A Justiça federal também exige dele o pagamento de uma multa de valor superior a US$ 250 mil. Os investigadores facilitaram o trabalho da Justiça ao encontrarem um rifle com mira telescópica perto da residência de Slepian meses após o assassinato do médico. Kopp também foi incriminado após um teste de DNA comprovar que eram seus alguns fios de cabelo encontrados na área próxima ao local de onde o atirador disparou o rifle.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.