Presos admitem participação no 11 de Setembro

Cinco homens acusados de envolvimento nos atentados de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos declararam-se "terroristas até o osso" em documento no qual admitem participação nos atentados e as acusações de crimes de guerra. Entre os cinco réus está Khalid Sheik Mohammed, que se autoproclama mentor intelectual dos atentados. Ele já havia admitido participação no passado. Os cinco suspeitos, todos eles detidos na carceragem da base naval mantida pelos EUA em Guantánamo, Cuba, tentaram justificar por escrito os atentados que provocaram a morte de quase 3 mil pessoas.A agência de notícias Associated Press obteve com exclusividade hoje um documento judicial de seis páginas no qual os réus referem-se aos atentados como "o grande ataque contra a América". O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, suspendeu o julgamento deles em janeiro enquanto o governo americano avalia os processos por crimes de guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.