Presos de Guantánamo exigem indenização dos EUA

Quatro ex-prisioneiros da base naval americana de Guantánamo, em Cuba, apresentaram o primeiro pedido de indenização contra os Estados Unidos, dizendo terem sofrido abusos. A demanda judicial foi apresentada pelo Centro de Direitos Constitucionais e pela firma de advocacia Baach, Robinson e Lewis, de Washington, em nome de quatro cidadãos britânicos libertados em março. Os britânicos são Shafiq Rasul, de 26 anos, Asif Iqbal e Rhuhel Ahmed, ambos de 22, e Kamal Al-Harith, de 37. Cada um pede a quantia compensatória de US$ 10 milhões. Os quatro, que apresentaram sua ação em um tribunal de Washington, foram detidos no norte do Afeganistão em 28 de novembro de 2001 e libertados apenas cerca de três anos depois. Embora as acusações de abusos em Guantánamo não tenham sido tão numerosas como as formuladas na prisão iraquiana de Abu Ghraib, pelo menos seis casos foram registrados na base em Cuba, segundo um informe de James R. Schlesinger, que liderou uma comissão parlamentar dos Estados Unidos para investigar abusos no Iraque, Afeganistão e Guantánamo.

Agencia Estado,

27 Outubro 2004 | 17h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.