Presos suspeitos de matar cantor na Guatemala

A polícia da Guatemala deteve hoje dois suspeitos de envolvimento no assassinato do cantor argentino Facundo Cabral, vítima de um complô do crime organizado que tinha um empresário do ramo musical como alvo, e é possível que a dupla não soubesse quem era Cabral, informaram autoridades locais.

AE, Agência Estado

12 de julho de 2011 | 20h40

Os guatemaltecos Elgin Vargas e Wilfred Stokes foram presos e acusados pelo assassinato de Cabral, morto quando seguia para o aeroporto no último sábado depois de um show na Cidade da Guatemala. Cabral, de 74 anos, era famoso na América Latina por suas canções de protesto.

O ministro de Interior da Guatemala, Carlos Menocal, disse que o alvo dos atiradores era o empresário nicaraguense Henry Farinas, responsável por promover o show de Cabral. Farinas, que guiava o carro atacado pela dupla, ficou gravemente ferido e está internado em condições críticas de saúde.

A procuradora-geral Claudia Paz y Paz disse a jornalistas que os dois suspeitos foram identificados com a ajuda das câmeras de segurança no hotel onde Cabral se hospedara. Segundo ela, a dupla passou cerca de uma semana vigiando Farinas antes do atentado do sábado. Segundo o presidente da Guatemala, Álvaro Colom, o crime organizado está por trás do crime. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
morteprisãoFacundo CabralGuatemala

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.