Pressionado, presidente do Iêmen propõe referendo e eleições para este ano

Votação para nova Constituição seria seguida de eleições parlamentares e presidenciais

REUTERS

23 de março de 2011 | 11h50

SANAA - O presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, propôs nesta quarta-feira, 23, a realização das eleições presidenciais até o final do ano, em uma tentativa de satisfazer os manifestantes pró-democracia que exigem sua renúncia imediata.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

"Haveria um referendo para uma nova Constituição, e depois, eleições parlamentares. Os membros eleitos do Parlamento formariam um governo e as eleições para presidente da República seriam realizados imediatamente, antes do final de 2011", disse o documento entregue aos grupos de oposição e ao comandante do Exército Ali Mohsen, que declarou seu apoio aos manifestantes.

Mais cedo, o Parlamento iemenita aprovou o estado de exceção de 30 dias decretado por Saleh no final da semana passada.

 

Os protestos das últimas semanas levaram o presidente do Iêmen anunciar que deixaria o cargo até janeiro de 2012. O plano, no entanto, foi recusado pela oposição do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.