Primeira entrevista de Kampusch bate recorde de audiência

A primeira entrevista concedida por Natascha Kampusch - jovem mantida refém por oito anos em um porão perto de Viena - e transmitida pela televisão local se tornou o programa mais assistido desde o início da medição de audiência no país, em 1991.Com um total de 2,7 milhões de telespectadores, a entrevista de Kampusch, de 18 anos, feita pelo jornalista Christoph Feurstein, bateu um recorde. O programa foi transmitido na quarta-feira entre 20h15 e 21h (das 15h15 às 16h de Brasília) pela televisão pública austríaca "ORF" e depois pela emissora alemã privada "RTL".O número é o resultado da soma dos espectadores nos lares austríacos que acompanharam o programa da "ORF" - cerca de 2,54 milhões - e dos 157 mil austríacos que o assistiram a partir das 21h, na "RTL", segundo comunicado da direção da "ORF" divulgado nesta quinta-feira em Viena.Sem os telespectadores da TV alemã, a entrevista com a vítima do seqüestro ocupa o terceiro lugar, atrás de uma reportagem sobre as eleições legislativas de 2002 (acompanhado por 2,6 milhões de pessoas) e um espetáculo de 1991, que atraiu 2,58 milhões de telespectadores.Kampusch foi seqüestrada por Wolfgang Priklopil, um técnico de comunicações que cometeu suicídio, aos 44 anos, poucas horas depois da fuga de sua refém, em 23 de agosto. A aguardada aparição, pela primeira vez diante das câmeras, da jovem que comoveu o público austríaco ao reaparecer após oito anos de cativeiro conseguiu audiência de 80% no país.A entrevista atraiu ainda grande parte do público aficionado por esporte, que normalmente optaria por assistir ao jogo de futebol transmitido ao vivo também pela "ORF", em seu primeiro canal ("ORF1").Assim, apenas 166 mil austríacos, 5% da audiência, assistiram ao primeiro tempo da partida entre as seleções da Áustria e da Venezuela, cujo horário coincidiu com a entrevista de Kampusch no segundo canal da rede, "ORF2".Embora o segundo tempo da partida tenha sido, ao menos parcialmente, acompanhado por uma média de 385 mil espectadores (14% da audiência), a maioria dos amantes do futebol evitou o desgosto de ver os austríacos perderem para os venezuelanos.Além dos compatriotas da jovem raptada aos dez anos em um bairro de Viena quando ia para a escola, na vizinha Alemanha a entrevista transmitida pela "RTL" foi assistida por 7,13 milhões de telespectadores."A preparação da entrevista foi extrema em todos os sentidos. Todos os participantes mantiveram até o final a firme decisão de defender a seriedade jornalística e a integridade humana frente às horrendas ofertas de dinheiro", disse nesta quinta-feira o diretor de informação de "ORF", Gerhard Draxler.Em meio a uma enorme expectativa midiática nacional e internacional, "a ordem principal foi o respeito à dignidade humana", acrescentou Draxler em comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.