Jane Barlow/PA via AP
Jane Barlow/PA via AP

Primeira-ministra da Escócia pede que população vá às urnas votar sobre referendo

Nicola Sturgeon, que fez campanha a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia, teme que chuva possa afetar a participação na votação

O Estado de S. Paulo

23 Junho 2016 | 08h39

LONDRES - A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, pediu nesta quinta-feira, 23, que o povo vá às urnas, ao depositar seu voto no referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (UE), com o temor de que a chuva possa afetar a participação.

"Estou muito otimista (sobre a participação na Escócia)", disse à imprensa a líder do Partido Nacionalista Escocês (SNP), e acrescentou: "Votei com a cabeça e com o coração".

"Pelo que pude ver nas redes sociais, o clima é muito variável em todo o Reino Unido, e vi que havia gente que tinha votado sob intensa chuva, mas em Glasgow o tempo está ensolarado e perfeito para votar", declarou Nicola.

Como todos os líderes políticos da Escócia - com a exceção do eurofóbico UKIP -, Nicola fez campanha a favor da permanência no bloco, sob o argumento de que o comércio e os empregos na autonomia seriam afetados pelo Brexit (como é chamada a saída britânica da UE).

O SNP também destacou que se o restante do Reino Unido decidir abandonar a UE, contra o voto escocês, seu governo poderia convocar um segundo referendo de independência.

Os independentistas escoceses perderam a primeira consulta realizada no dia 18 de setembro de 2014, quando ganhou a opção de permanecer no Reino Unido por 55% contra 45% dos votos.

Durante a campanha do referendo, Nicola se mostrou convencida de que o voto da Escócia pode ser a chave para o resultado, embora a região só tenha 8% da população total do Reino Unido.

Gibraltar. Mais de 16% da população recenseada em Gibraltar votou nas primeiras três horas da consulta para determinar o destino do Reino Unido e da União Europeia.

Mais 24 mil cidadãos britânicos, irlandeses e da Commonwealth registrados no território têm direito a voto neste referendo.

Os 14 centros eleitorais habilitados para a consulta abriram suas portas às 7h locais (3h em Brasília) e devem fechar às 22h locais (18h em Brasília).

Os poucos ativistas que se veem nas portas dos locais de votação exibem cartazes a favor da permanência no bloco.

As pesquisas publicadas pelos meios de comunicação gibraltinos e britânicos determinam um apoio de cerca de 90% a favor da permanência entre os eleitores de Gibraltar. /EFE

Veja abaixo: Entenda o que é o Brexit

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.