Primeira-ministra do Peru confirma renúncia

A primeira-ministra do Peru, Beatriz Merino, confirmou que renunciou ao cargo, atendendo a um pedido do presidente Alejandro Toledo. Em uma entrevista no Aeroporto Internacional de Lima, após uma viagem aos Estados Unidos, Beatriz Merino afirmou que foi vítima de uma campanha para abalar a sua reputação. Neste mês, a imprensa peruana publicou matérias, citando fontes não-identificadas, que a acusam desde corrupção até lesbianismo. "Há oito semanas fui informada que seria atingida por diversos ataques gratuitos. E isso se confirmou", declarou. O presidente Toledo deve anunciar o substituto de Beatriz Merino nesta segunda-feira. A imprensa local informa que o congressista Carlos Ferrero Costa foi escolhido como primeiro-ministro, apesar de seu nome não ter sido confirmado oficialmente. O jornal "La República" estampa como manchete de capa: "Ferrero es nuevo premier", mas a matéria ressalta que o nome não foi confirmado pelo governo peruano. O presidente Toledo demitiu Beatriz Merino e todo o gabinete que ela chefiava na sexta-feira, após um escândalo sobre a vida pessoal da premier ter ganhado as páginas dos jornais. De acordo com os jornais, Merino perdeu a confiança de Toledo ao afirmar publicamente que um rival político estava espalhando rumores de que era era lésbica. Beatriz Merino negou o homossexualismo e destacou que estava sendo alvo de ataques desde que assumiu o posto. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.