Primeira viagem de Hillary reforça relações na Ásia

Casa Branca reafirma aliança com Japão e China e traça estratégia para desarmar Pyongyang

REUTERS E AP, O Estadao de S.Paulo

17 de fevereiro de 2009 | 00h00

Em sua primeira viagem oficial, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, chegou ontem ao Japão, onde afirmou que a aliança entre EUA e Tóquio continua sendo a "pedra angular" da segurança na região. Do Japão, ela parte amanhã para a Indonésia, segue para a Coreia do Sul e completa seu giro pela Ásia com uma vista à China, de sexta-feira a domingo. Com a viagem, Hillary pretende acalmar os aliados que veem com ceticismo a política americana em relação à Coreia do Norte e estabelecer o tom do governo de Barack Obama para as relações Pequim. "Vim à Ásia para mostrar que as relações dos EUA com o outro lado do Pacífico são indispensáveis para responder aos desafios do século 21", afirmou. A secretária de Estado terá encontros com o primeiro-ministro japonês, Taro Aso, com o ministro das Relações Exteriores, Hirofumi Nakasone, e com o líder do principal partido de oposição, Ichiro Ozawa. A reunião com o opositor deve fomentar mais ansiedade interna em relação ao enfraquecimento governo de Aso. Os principais temas da agenda da visita ao Japão serão mudança climática, Afeganistão, Paquistão e proliferação nuclear.Hillary também assinará um acordo para deslocar 8 mil marines da Ilha de Okinawa para Guam, território americano no Pacífico. Hillary também pretende se encontrar com um grupo de parentes de cidadãos japoneses sequestrados na Coreia do Norte nas décadas de 70 e 80. O encontro foi anunciado depois que o Japão se mostrou decepcionado pela Casa Branca ter retirado Pyongyang da lista de países terroristas mesmo sem resolver a questão dos sequestros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.