Primeiras projeções dão vitória a Berlusconi no senado italiano

Terminadas as votações para a formação do novo parlamento italiano, as primeiras projeções oficiais começam a apontar que a coalizão de centro-direita, do candidato Silvio Berlusconi, deve ficar com a maioria no Senado. Na Câmara dos Deputados, o resultado continua sendo disputado ombro a ombro com a coalizão de centro-esquerda, do candidato Romano Prodi. Inicialmente, Prodi levava vantagem sobre Berlusconi, mas projeções posteriores colocam a centro-direita na liderança. As projeções para o Senado, baseadas em 95% dos votos apurados até o momento, mostram que a aliança de Berlusconi deve ficar com 158 cadeiras, enquanto Prodi terá 151. Entretanto, a margem de erro é de 1 a 3%. Já as projeções para a Câmara dos Deputados, baseadas em 63% do total dos votos, dão a Berlusconi 50% dos sufrágios, enquanto Prodi aparece com 49,5%. Governo O Senado e a Câmara dos Deputados têm o mesmo poder no parlamento, e qualquer coalizão teria que conseguir o controle das duas Casas para formar um novo governo. Por isso, ambos os candidatos disseram que se um total majoritário não for atingido, serão realizadas novas eleições. Mesmo com uma pequena maioria no parlamento, oficialmente, uma das coalizões deve vencer. Mas, nesse caso, seria extremamente difícil aprovar a nova legislatura. Se as duas forças políticas não chegarem a um acordo, o presidente pode tentar nomear um governo de tecnocratas até que uma nova eleição seja realizada. Uma outra opção seria formar uma coalização conjugando forças de direita e esquerda, mas, tendo em vista as implacáveis divisões entre os partidos políticos italianos, isso seria praticamente inviável. Boca-de-urna As projeções que dão uma pequena margem de liderança em ambas as Casa à Berlusconi vêm a público poucas horas depois de pesquisas de boca-de-urna terem indicado uma magra vitória parlamentar para Romano Prodi. Dois levantamentos do instituto Nexus realizados 45 minutos antes do termino da votação indicavam que a coalização liderada por Prodi levaria entre 50 e 54% dos votos tanto para a Câmara quanto para o Senado, enquanto que o grupo de Berlusconi ficaria com entre 45 e 49% do eleitorado. As duas bocas-de-urna davam à coalizão de Prodi, a União, entre 159 e 170 lugares no Senado, enquanto a aliança de centro-direita de Berlusconi ficaria com 139 ou 150 assentos. As pesquisas ainda não informaram o número de assentos na Câmara dos Deputados. Segundo o ministério do Interior italiano, 84% dos eleitores compareceram às urnas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.