AFP / Marwan IBRAHIM
AFP / Marwan IBRAHIM

Primeiro comboio humanitário entra em Daraya, na Síria, sitiada desde 2012

De acordo com enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, há civis, incluindo crianças, que precisam de alimentos e remédios na cidade

O Estado de S. Paulo

21 Abril 2016 | 17h08

GENEBRA - O primeiro comboio humanitário entrou em Daraya, uma cidade a sudoeste de Damasco com presença rebelde, onde nenhuma ajuda tinha entrado desde 2012 e onde uma missão da ONU acaba de comprovar que há civis.

"O relatório que recebemos é um sinal de alarme, há civis, entre elas crianças, que precisam de alimentos e remédios", disse o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.

"Daraya se transformou em um símbolo de inacessibilidade", afirmou o mediador internacional, que detalhou que a ajuda foi introduzida através de uma missão de investigação da ONU, que conseguiu entrar no local para verificar a situação.

De Mistura não deu detalhes sobre a assistência introduzida nem sobre as descobertas de tal missão. O enviado da ONU acrescentou que a Rússia facilitou a entrada da equipe de investigação em Daraya.

Além disso, falou do povoado de Deir es-Zor, no nordeste sírio e onde há distritos em poder das autoridades que estão sitiados pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI) há mais de um ano.

O mediador lembrou que em oito ocasiões foi lançada ajuda através de aviões sobre esta cidade para 65 mil pessoas. "O Programa Mundial de Alimentos (PMA) planeja dobrar a assistência lançada pelo ar, para isso são necessários mais fundos, mas não acho que haja problema", ressaltou.

Até agora, a ONU conseguiu distribuir ajuda a 560 mil pessoas em lugares assediados e de difícil acesso na Síria, das quais 220.250 ficam em áreas sitiadas. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.