AP Photo/Andy Wong
AP Photo/Andy Wong

Primeiro corpo em parque industrial devastado é encontrado na China

Equipes de resgate continuam no local em busca de possíveis sobreviventes e de outras vítimas do deslizamento; ao menos 70 pessoas continuam desaparecidas, mas causas do acidente e número de vítimas ainda são imprecisos

O Estado de S. Paulo

22 de dezembro de 2015 | 16h33

PEQUIM - As equipes de resgate desenterraram nesta terça-feira, 22, o primeiro corpo do parque industrial soterrado por um deslizamento de terra em Shenzhen, no sul da China, onde continuam desaparecidas mais de 70 pessoas, em meio à confusão em razão do número de vítimas e às causas do acidente.

O corpo foi encontrado por volta das 6 horas (horário local, 20h da segunda-feira em Brasília), segundo as autoridades locais, citadas pela agência oficial de notícias "Xinhua". O deslizamento de terras aconteceu no domingo de manhã e afetou 33 prédios do parque industrial Hengtaiyu, entre eles três dormitórios de operários, além de 14 fábricas e dois escritórios.

Cerca de 10 hectares da região ficaram cobertos por escombros, que na maioria do parque industrial atingem uma altura média de seis metros.

O deslizamento de terra foi seguido por uma explosão em um gasoduto da região, propriedade do gigante nacional do setor de petróleo Petrochina, que destruiu 400 metros de encanamentos.

Milhares de trabalhadores estavam usando sensores, drones e escavadeiras de terra nos 380.000 metros quadrados do local do desastre, tentando localizar possíveis sobreviventes presos sob lama de até 10 metros de profundidade. Durante a noite, a área foi iluminada com holofotes para permitir que as operações de resgate não fossem interrompidas.

Foi o segundo grande desastre provocado pela ação humana na China em quatro meses - em agosto, pelo menos 160 pessoas foram mortas em explosões em grande escala de produtos químicos na cidade portuária de Tianjin.

Com a crescente preocupação sobre os padrões de segurança industrial e falta de fiscalização na China, poucas horas depois da tragédia o primeiro-ministro Li Keqiang ordenou uma investigação sobre o deslizamento de terra em Shenzhen, uma cidade que teve um crescimento vertiginoso.

A reunião do governo central em Pequim nesta terça-feira, supervisionada pelo presidente Xi Jinping, assinalou que a segurança precisa ser a "primeira prioridade" no desenvolvimento e gestão das cidades do país, disse a agência de notícias Xinhua. "Cuidados com a segurança têm que permear todos os aspectos da atividade urbana", afirma.

Autoridades chinesas também inspecionaram nesta terça os escritórios de uma empresa de gestão do local de despejo de entulho responsável pela área que causou o deslizamento em Shenzhen. Registros das autoridades locais mostraram que a empresa não estava habilitada para fazer o trabalho.

Um repórter da Reuters viu nesta terça-feira policiais em duas instalações da empresa de Desenvolvimento e Investimento Yixianglong, em Shenzhen, e nenhum sinal de funcionários. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Xi JinpingChinaDeslizamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.