Justin Sullivan/Getty Images/AFP
Justin Sullivan/Getty Images/AFP

Primeiro Estado dos EUA a decretar lockdown, Califórnia pretende reabrir economia em 15 de junho

Mudança depende da disponibilidade contínua de vacinas e diminuições nas internações por covid-19; Estado diz ter administrado mais de 20 milhões de doses de vacinas

The Washington Post, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2021 | 16h50

WASHINGTON - As autoridades da Califórnia planejam reabrir totalmente a economia em 15 de junho - se a pandemia continuar a desacelerar - depois de reduzir o número de casos de coronavírus neste que é o Estado mais populoso dos Estados Unidos.

Os limites de capacidade para restaurantes, cinemas e outros negócios serão suspensos, disse o secretário de Saúde e Serviços Humanos, Mark Ghaly, em uma teleconferência com repórteres nesta terça-feira, 6.

O governador Gavin Newsom vem abrandando lentamente as restrições depois que uma onda de coronavírus no inverno (norte) estimulou novos bloqueios. 

O surto no Estado melhorou dramaticamente, com a média de casos diários caindo para cerca de 2 mil, em comparação aos mais de 40 mil em janeiro. A taxa de positividade de teste é de 1,6%, a mais baixa dos EUA.

O Estado ainda exigirá que as pessoas usem máscaras em público. E não pretende exigir nenhum tipo de passaporte de vacina para provar que alguém foi vacinado.

Em 20 de março de 2020, o Estado foi o primeiro a decretar uma ordem inédita para toda sua população, de 40 milhões, de ficar em casa.  

Newsom, um democrata, provavelmente enfrentará uma difícil eleição no fim deste ano, em grande parte impulsionada pela raiva sobre o fechamento de empresas e outras restrições. "Vamos além dos limites de capacidade de setor por setor, indústria por indústria", disse Ghaly.

A mudança depende da disponibilidade contínua de vacinas e diminuições nas internações de covid-19. O Estado disse ter administrado mais de 20 milhões de doses de vacinas.

“Aqueles que são vacinados, geralmente observam sintomas muito leves (se contaminados)”, disse Ghaly. "Se continuarmos a ver isso assim como a estabilização dos dados, então avançaremos mais com essa data de 15 de junho."

Existem algumas exceções ao fim das restrições. O Estado exigirá que os centros de convenções e reuniões com mais de 5 mil pessoas tenham um processo para testar os participantes ou solicitar um comprovante de vacinação. O Estado também ainda está trabalhando sobre como ficarão os grandes eventos, como o festival de música Coachella, disse Ghaly.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.