Primeiro-ministro australiano vai se encontrar com Bush

Quando o primeiro-ministro australiano, John Howard, partir para Washington, neste final de semana, a fim de manter conversações sobre o Iraque com o presidente norte-americano, George W. Bush, deixará uma nação imersa numa disputa amarga em torno do apoio do país à política dos Estados Unidos de desarmar o Iraque.Howard embarca sábado para Washington, numa viagem que ele descreve como uma "missão de paz". Mas seus opositores afirmam que ele vai para os EUA para falar sobre guerra.O apoio do primeiro-ministro à posição dura de Washington em relação ao Iraque, e sua decisão de enviar 2 mil soldados australianos para se juntarem às forças dos EUA no Golfo Pérsico que se preparam para a guerra, dominou os debates parlamentares nesta semana.O Partido Trabalhista e outras forças políticas da oposição estão do lado da esmagadora maioria da opinião pública, que acredita que a Austrália não deveria apoiar a ação militar contra o Iraque sem o apoio das Nações Unidas.O debate tem sido intenso. Os deputados da oposição têm criticado o que eles chamam de "apoio incondicional" de Howard a Washington. Eles também têm criticado Bush e seu governo.O deputado Mark Latham disse que Bush é "o presidente mais incompetente e perigoso de que se tem memória".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.