Walter Tychnowicz / AFP
Walter Tychnowicz / AFP

Primeiro-ministro canadense promete respostas para vítimas de avião derrubado pelo Irã

O avião foi abatido por um míssil iraniano momentos depois de decolar de Teerã na quarta-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de janeiro de 2020 | 02h14

CANADÁ - O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau disse no domingo, 12, que foi devastador ouvir as histórias de parentes dos 57 canadenses que morreram depois que um avião de passageiros ucraniano foi derrubado pelo Irã na semana passada, quando compareceu a um dos vários funerais realizados no país. 

Falando em um funeral em frente a 2.300 pessoas em Edmonton, Alberta, Trudeau disse que soube que muitas das vítimas tinham ido para o Canadá em busca de novas oportunidades para suas famílias, que agora estão atoladas de dor e indignação.

O avião foi abatido por um míssil iraniano momentos depois de decolar de Teerã na quarta-feira. As 176 pessoas a bordo morreram, incluindo 138 que se dirigiam ao Canadá. O Irã admitiu que o avião foi confundido com um alvo hostil em meio a crescentes tensões com os Estados Unidos. 

Trudeau considerou uma tragédia canadense. "Essa tragédia nunca deveria ter acontecido", disse ele. "Não descansaremos até que haja respostas. Não descansaremos até que a justiça seja feita." 

Outros funerais foram realizados no domingo em diferentes partes do país. Na Galeria de Arte de Vancouver, o ministro da Defesa Nacional Harjit Sajjan também disse que o incidente foi uma tragédia nacional. 

Na Universidade de Toronto, muitos choraram durante a cerimônia quando os palestrantes disseram o nome das vítimas, incluindo uma de um ano de idade. As pessoas aplaudiram várias vezes quando vários oradores e políticos culparam o Irã pelo ataque. 

A vice-primeira-ministra Chrystia Freeland participou de uma vigília em Toronto e disse que a perda vai além da universidade. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.