Primeiro-ministro da Coreia do Sul renúncia ao cargo

Chung Un-chan caia nas pesquisas e ameaçava o partido nas eleições

Efe,

29 de julho de 2010 | 04h48

SEUL - O primeiro-ministro sul-coreano, Chung Un-chan, anunciou na quarta-feira, 28, sua renúncia após a recente rejeição no Parlamento da lei que promovia para criar um centro de negócios na região central do país.

Chung, economista e ex-reitor da Universidade Nacional de Seul, foi nomeado primeiro-ministro em setembro de 2009 pelo presidente sul-coreano, Lee Myung-Bak, que, segundo a imprensa local, deve aceitar sua renúncia.

Em entrevista coletiva, Chung disse nesta quinta-feira, 29, que este é o momento apropriado para renunciar, depois da arrasadora vitória do partido governamental nas eleições parlamentares parciais realizadas na quarta-feira.

A renúncia era especulada desde que a Assembleia Nacional (Parlamento sul-coreano) votou mês passado contra o projeto de lei "Cidade de Sejong", que previa a construção de um centro de negócios na província de Chungcheong.

Esse plano, defendido por Chung, substituía um projeto criado pelo governo anterior que contemplava a criação de uma cidade administrativa.

A rejeição parlamentar aconteceu poucos dias depois que o partido governamental GPN sofreu ampla derrota nas eleições regionais do último dia 2 de junho.

A votação foi a primeira em nível nacional desde que Lee assumiu a Presidência, em fevereiro de 2008, e por isso foram consideradas um termômetro para o apoio popular ao governo.

Após a derrota eleitoral, o primeiro-ministro já manifestou ao presidente em várias ocasiões sua intenção de deixar o cargo.

Os analistas apontam a que a renúncia de Chung acelerará um amplo reajuste do gabinete sul-coreano nesta segunda metade do mandato do presidente, que terminará no início de 2013.

Segundo a agência local Yonhap, a remodelação do governo pode acontecer na segunda semana de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.