Primeiro-ministro da Índia diz que morte de Bhutto é 'tragédia'

'A morte de Bhutto mais uma vez lembra o dano que o terrorismo pode causar à paz', diz Manmohan Singh

Efe,

28 de dezembro de 2007 | 09h22

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, chamou nesta sexta-feira, 28, de "tragédia" o assassinato, na quinta-feira, 27, da ex-governante paquistanesa Benazir Bhutto, e defendeu um trabalho conjunto para acabar com o terrorismo. "O doloroso golpe da morte de Bhutto, esta enorme tragédia, mais uma vez lembra a todos o dano que o terrorismo pode causar à paz, a prosperidade e ao bem-estar da região", disse Singh, citado pela agência indiana PTI. "Todos temos a obrigação de trabalhar juntos para enfrentar essa ameaça à vida do povo civilizado no mundo todo", acrescentou. Na quinta, o chanceler indiano, Pranab Mukherjee, já tinha expressado seu "horror" diante do atentado e qualificado Bhutto como "uma mulher excepcional".

Tudo o que sabemos sobre:
Benazir Bhutto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.