Primeiro-ministro da Síria abandona o governo

O primeiro-ministro da Síria, Riad Hijab, deixou o cargo e fugiu para o país vizinho da Jordânia, afirmaram um porta-voz dos rebeldes e uma autoridade jordaniana nesta segunda-feira. A deserção está sendo vista como a mais recente evidência de que as rupturas no regime do presidente Bashar Assad atingiram os altos escalões do governo.

AE, Agência Estado

06 de agosto de 2012 | 09h05

Ahmad Kassim, oficial sênior do Exército Livre Sírio, disse que Hijab escapou para a Jordânia junto com outros três ministros. Um funcionário do governo jordaniano, que pediu para não ser identificado, confirmou que o primeiro-ministro chegou no país com sua família. A fonte não comentou sobre os outros três ministros.

Hijab é a figura mais proeminente a desertar desde o início da revolta contra o regime autoritário de Assad, há 17 meses. Não se sabe ainda a identidade dos outros ministros.

"Não tenha medo. Deserte deste regime criminoso", incentivou Mohammad Otari, porta-voz de Hijab. Ele falou na rede de TV Al-Jazeera. Otari disse que o ex-primeiro-ministro é agora um "soldado" da revolução e acrescentou que sua defecção estava sendo planejada há mais de dois meses. Ele afirmou que Hijab está em um lugar seguro e que somente aceitou o cargo pois o governo deu-lhe uma escolha: aceite ou seja morto.

Na manhã desta segunda-feira, a TV estatal síria reportou que Hijab foi demitido. Ex-ministro da Agricultura, o desertor assumiu o cargo de premiê dois meses atrás e era considerado um integrante leal do partido Baath, de Assad.

Otari disse que Hijab é da província oriental de Deir el-Zour, da tribo Skhni. Segundo o porta-voz, ele levou consigo 10 familiares, alguns com cargos no governo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriadeserçãoprimeiro-ministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.