Primeiro-ministro de Israel critica Ahmadinejad na ONU

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, fez um forte ataque ao presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, em discurso no plenário da Organização das Nações Unidas (ONU). Ele disse que a audiência concedida a Ahmadinejad na noite anterior foi uma "desgraça para a Carta das Nações Unidas", segundo o Wall Street Journal.

AE, Agencia Estado

24 de setembro de 2009 | 16h52

Netanyahu exibiu cópias de minutas de encontros de funcionários nazistas em 1942, nos quais foram feitos planos para o genocídio dos judeus, bem como para a construção dos campos de extermínio.

"São mentiras esses protocolos?" questionou Netanyahu, balançando os papéis na sua mão. "Os governos alemães que guardaram estes documentos para a posteridade são todos mentirosos?"

Netanyahu abriu seu discurso afirmando que a maior ameaça ao esforço da ONU de evitar uma repetição da carnificina da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) é o "assalto à verdade".

"Ontem o presidente do Irã ficou em pé aqui neste pódio e exibiu sua retórica antissemita", disse Netanyahu. "Apenas alguns dias antes ele declarou que o Holocausto era uma mentira".

"Cerca de um terço de todos os judeus na época foram mortos no Holocausto", ele disse. "Praticamente todas as famílias foram afetadas, incluindo a minha".

Netanyahu continuou o discurso atacando Ahmadinejad: "talvez alguns de vocês pensem que este homem e seu regime odioso apenas ameacem os judeus", afirmou o premiê. "O que sempre começa como ataque aos judeus sempre acaba incluindo outros. Esse regime incorpora os extremos do fundamentalismo islâmico".

Netanyahu concluiu suas declarações ao citar Winston Churchill e os alertas do líder britânico sobre as crescentes ameaças às vésperas da Segunda Guerra Mundial. "A questão que se coloca à comunidade internacional é se ela está preparada para confrontar essas forças ou apenas acomodá-las", ele disse.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.