Menahem Kahana/Reuters
Menahem Kahana/Reuters

Primeiro-ministro de Israel será investigado por corrupção

Netanyahu é acusado de não fornecer dados completos sobre financiamento de campanha

Efe

31 Março 2011 | 15h11

JERUSALÉM - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, será investigado pelas acusações de corrupção feitas nesta semana por uma emissora de televisão local, disse nesta quinta-feira, 31, o corregedor do Estado de Israel, Micha Lindestrauss.

 

O anúncio foi feito após a rede Canal 10 denunciar que Netanyahu não deu informações completas sobre as fontes de financiamento de sua campanha política e permitiu que homens de negócios pagassem viagens a ele e sua família.

 

Em relação à primeira das denúncias, o canal de televisão afirmou que Netanyahu recebeu em 2005 doações privadas que utilizou com fins políticos sem revelar sua origem ao interventor do Estado, tal como obriga a legislação israelense.

 

A segunda denúncia se centra na acusação de que o premiê aceitou que homens de negócios pagassem viagens de lazer que realizou junto com sua família, o que, segundo a legislação israelense, não é compatível com o desempenho de um cargo público.

 

Netanyahu, porém, negou as acusações, que atribuiu a uma "campanha orquestrada" contra ele. Em entrevista transmitida por outra rede de televisão, o Canal 2, ele qualificou as denúncias como "cruéis e hipócritas", e responsabilizou pelas acusações "alguns jornalistas que não gostam do fato de que ele seja primeiro-ministro".

Mais conteúdo sobre:
Netanyahu Israel Oriente Médio corrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.