Primeiro-ministro de Israel volta a pedir acordo de paz com Líbano

O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse que espera eventualmente alcançar um acordo de paz com o Líbano em conseqüência dos recentes combates entre seu país e a guerrilha do Hezbollah em solo libanês. "Quão natural, compreensível, seria para o primeiro-ministro do Líbano responder aos muitos chamados que fiz para ele e dizer, ´vamos lá, vamos nos sentar, apertar as mãos, fazer a paz e encerrar de uma vez por todas as hostilidades, a desconfiança, o ódio algumas pessoas do meu povo tem por você´", disse Olmert, quando visitava uma escola no norte de Israel, na abertura do ano escolar. O norte de Israel foi atingido por quase 4 mil foguetes do Hezbollah durante os 34 dias de combates, que foram encerrados no dia 14 de agosto. "Eu espero que este dia venha logo. Eu aspiro por isso. Eu estou certo que você anseia por isso. Eu estou certo que todos os israelenses aspiram por isso. Mas até lá, faremos tudo, com reflexão, responsavelmente, para lidar com tudo o que for necessário a fim de estarmos prontos para cada oportunidade", disse o premier israelense. Na semana passada, Olmert e o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, disseram que esperam que o cessar-fogo possa ser a base para um acordo de paz de longo prazo entre os dois países. Contudo, o primeiro-ministro libanês, Fuad Saniora, descartou aquelas esperanças, dizendo que o Líbano "será o último país árabe a assinar um acordo de paz com Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.