Primeiro-ministro denuncia golpe de Estado no Haiti

O primeiro-ministro do Haiti, Yvon Neptune, afirmou que há um golpe de Estado em andamento em seu país e pediu a ajuda da comunidade internacional para combatê-lo. O primeiro-ministro pronunciou-se um dia depois de ex-soldados unirem-se à rebelião e capturarem a cidade de Hinche, causando o temor de uma guerra civil e do retorno a uma época em que o Exército torturava e assassinava opositores."Somos testemunhas de que um golpe de Estado está se formando", disse Neptune a jornalistas. Segundo ele, a força policial, formada por 5.000 membros, não está bem equipada para responder à altura. Ele espera que a comunidade internacional intervenha "a fim de demonstrar que realmente deseja a paz e a estabilidade no Haiti". Os Estados Unidos já demonstraram sua contrariedade em usar a força para pôr um fim à insurreição no país caribenho.Em entrevista à rede de TV CNN, o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, afirmou "não existir, por enquanto, entusiasmo algum para se enviar forças militares ou policiais com o propósito de acabar com a violência que estamos presenciando". Segundo Powell, a comunidade internacional deseja "uma solução política" e que só então algumas nações ofereceriam presença policial para implementar algum acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.