Primeiro-ministro do Iraque reitera desejo de dissolver milícias

O primeiro-ministro do Iraque, Nourial-Maliki, reiterou neste domingo que seu governo está decidido a dissolveras milícias que operam no Iraque, porque ameaçam levar o país a umaguerra civil. "O governo está decidido a dissolver as milícias, já que oExecutivo e elas se contrapõem, porque as armas devem estar em poderapenas do governo", disse Maliki em discurso emitido pela televisão,por ocasião do primeiro aniversário do plebiscito da Constituiçãoiraquiana. Segundo o primeiro-ministro, "ninguém tem o direito de estaracima da lei. As milícias nunca serão uma alternativa ao governo e aseus órgãos de segurança, nem significarão garantia para ninguém". Nesse sentido, Maliki - de confissão xiita - disse que o Governoé o único que tem o monopólio legítimo da força. A dissolução das milícias, a maioria pertencentes aos partidosque integram a governante coalizão Aliança Unida Iraquiana, chegou ase tornar um dos principais obstáculos para o governo de Maliki. Ao tomar posse como chefe de governo, em abril passado, oprimeiro-ministro prometeu desarmar e desmobilizar todas asmilícias, o que até agora não aconteceu. Segundo partidos políticos árabes sunitas e organizações locaisde direitos humanos, os milhares de cadáveres encontrados nosúltimos meses foram de pessoas seqüestradas e assassinadas poresquadrões da morte pertencentes às milícias xiitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.