Primeiro-ministro do Japão fará reforma ministerial

O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, disse hoje que irá reformar seu impopular gabinete de ministros, enquanto tenta reviver a economia e preparar o país para se tornar mais competitivo na economia mundial. Naoto disse que anunciará a reforma amanhã, que terá como meta enfrentar os principais desafios do Japão - uma população em rápido envelhecimento, uma dívida nacional crescente e uma economia, a terceira maior do mundo, estagnada.

AE, Agência Estado

13 de janeiro de 2011 | 16h19

"Nós teremos o gabinete mais forte. As mudanças irão refletir qual é a melhor maneira de perseguirmos as reformas para o Japão e enfrentar os problemas", disse o premiê. O premiê discursou na convenção nacional do seu governista Partido Democrático do Japão (PDJ), que acontece em Chiba, na periferia de Tóquio, onde mais de 2 mil políticos e partidários da agremiação se reúnem para discutir a agenda do partido em 2011. O premiê sofreu críticas internas no PDJ. Seus correligionários acham que o governo está muito lento para lançar as reformas.

Kan não disse quais ministros deixarão o governo, mas a mídia japonesa afirma que ele substituirá o chefe de gabinete, Yoshito Sengoku, que está sob críticas da oposição após ter feito comentários polêmicos a respeito de questões diplomáticas. O ministro das Finanças, Kaoru Yosano, também poderá deixar o cargo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoreformaministério

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.