Primeiro-ministro do Peru nega acordo entre García e Fujimori

O primeiro-ministro do Peru, Jorge del Castillo, negou na segunda-feira, 12, que o presidente Alan García tenha um pacto com o ex-líder Alberto Fujimori (1990-2000), como afirmou no domingo a imprensa chilena.Del Castillo disse que a afirmação "é uma infâmia, um despropósito"."É preciso ter cuidado com os ultraconservadores, a mais rançosa direita, que se expressa dessa maneira. Nós respeitamos a independência de poderes. O Poder Judiciário chileno não vai resolver a extradição de Fujimori porque nós mandamos", disse.Segundo um artigo publicado no domingo pelo jornal chileno El Mercurio, que não identifica fontes, Fujimori, que enfrenta um processo de extradição no Chile, teria negociado através de sua filha Keiko o apoio a García nas eleições presidenciais do ano passado. Em troca, o presidente evitaria a sua extradição.Pelo acordo García teria um mandato mais tranqüilo, afirmou o jornal. O chefe de Estado peruano teria comunicado ao governo chileno que a presença de Fujimori no Peru seria incômoda.O chanceler peruano, José Antonio García Belaúnde, acusou El Mercurio de manter laços com o regime do falecido ditador Augusto Pinochet (1973-1990)."Esse jornal sabe de pactos com as ditaduras", comentou para depois dizer que "um jornal sério deveria apurar melhor suas informações".Fujimori, que chegou ao Chile em novembro de 2005, esteve seis meses detido no país. Em maio do ano passado obteve a liberdade provisória, enquanto o Governo peruano formalizava um pedido de extradição.A Justiça chilena deverá avaliar nos próximos meses a solicitação. Fujimori é acusado de corrupção e violações aos direitos humanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.