Amr Nabil/AP
Amr Nabil/AP

Primeiro-ministro egípcio promete 'governo do povo'

Hesham Kandil pediu aos egípcios que se unam, tendo em vista os desafios enfrentados pelo país

AE, Agência Estado

02 de agosto de 2012 | 11h16

CAIRO - O primeiro-ministro indicado do Egito, Hesham Kandil, descreveu seu gabinete, composto por 35 ministros, como o "governo do povo" e pediu aos egípcios que se unam, tendo em vista os "graves" desafios enfrentados pelo país.

Veja também:

linkNo Egito, barba inédita de premiê pode indicar influência islâmica no governo

linkMinistro pouco conhecido é nomeado premiê do Egito

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Kandil, que estudou nos Estados Unidos, também confirmou que o ministro da Defesa de Hosni Mubarak durante 20 anos, o marechal de campo Hussein Tantawi, permanecerá no cargo. Tantawi liderou os generais militares que tomaram o poder quando o presidente deixou o cargo no ano passado, após um levante popular.

As declarações de Kandil foram feitas durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, horas antes da cerimônia de posse do novo gabinete. Ele disse que vários membros do atual governo militar permanecerão em seus cargos, dentre eles os ministros de Relações Exteriores e de Finanças.

Kandil, que é um muçulmano praticante, afirma que não tem qualquer ligação formal com nenhum partido político islamita do país.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitopolíticagabineteHesham Kandil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.