Primeiro-ministro indiano congela diálogo com Paquistão

O primeiro-ministro da Índia, Atal Bihari Vajpayee, afirmou que congelará o diálogo com o Paquistão acusando o presidente do país vizinho de promover o terrorismo, segundo uma entrevista publicada hoje pelo jornal The Times of India. "Como ele pode estar preocupado com o terrorismo? Ele o promove", disse Vajpayee sobre o general Pervez Musharraf.Funcionários do Ministério das Relações Exteriores e do escritório do primeiro-ministro, incluindo o porta-voz de Vajpayee, Ashok Tandon, afirmaram não poder confirmar imediatamente se o diálogo com o Paquistão será congelado.Vajpayee reagiu iradamente ao discurso proferido na quarta-feira por Musharraf, no qual ele acusou a Índia de oferecer ajuda aos Estados Unidos para tirar proveito da crise internacional e declarar o Paquistão um Estado terrorista. Os dois líderes deveriam se encontrar na próxima semana durante a Assembléia Geral da ONU, mas os ataques terroristas de 11 de setembro em Nova York e Washington forçaram o cancelamento da reunião.Depois de dois anos sem comunicação, Vajpayee e Musharraf encontraram-se em julho por três dias, mas o diálogo foi interrompido devido à questão da Caxemira, a região do Himalaia de maioria muçulmana disputada pelos dois países. Também hoje, um míssil mar-mar capaz de transportar uma ogiva nuclear foi lançado de um navio de guerra indiano para dentro da Baía de Bengala em um teste considerado perfeito pelos militares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.