Primeiro-ministro indiano vai a palco de ataques separatistas

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, visitou nesta terça-feira o distrito de Assam, no noroeste do país, para avaliar diretamente a situação após a onda de violência separatista de 10 dias atrás, na qual morreram mais de 60 civis, informou a televisão indiana "NDTV".Pouco antes da viagem, Singh comentou sua preocupação com os recentes assassinatos em Assam. Ele disse que não haverá acordo com o grupo separatista Ulfa (Frente Unida para a Separação de Assam), responsabilizado pelos ataques.O primeiro-ministro afirmou também, em declarações citadas pela "NDTV", que o governo garantirá a segurança dos habitantes do estado. As vítimas da última onda de violência foram principalmente imigrantes de língua hindi que se estabeleceram no estado, onde a maioria fala assamês. Muitos trabalhadores estão muito assustados e se recusam a voltar ao trabalho. Alguns disseram que, sem garantias de segurança, terão que voltar a seus estados de origem. O Ulfa é um grupo separatista que surgiu em 1979. Seu principal objetivo é conseguir a independência de Assam, ou pelo menos uma ampla autonomia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.