Primeiro-ministro iraquiano ordena início de ofensiva a Bagdá

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri Al-Maliki, ordenou na terça-feira a comandantes militares que acelerem os preparativos para uma ofensiva com apoio norte-americano em Bagdá, depois de uma série de ataques que deixaram vários mortos nos últimos dias. Falando a generais sobre o que ele chamou de "atraso" no plano para tentar impedir uma guerra civil, Al-Maliki disse: "Peço aos senhores que rapidamente concluam os preparativos para que não desapontemos as pessoas".Há três dias, um caminhão-bomba matou 135 pessoas num bairro xiita de Bagdá, na pior explosão individual desde a invasão norte-americana de 2003. Al-Maliki já anunciou a ofensiva há quase um mês, e os iraquianos estão cada vez mais irritados com a demora. Autoridades iraquianas disseram que a ação militar deveria ter começado nesta semana, mas que os comandantes pediram mais tempo para preparar suas tropas. Uma ofensiva anterior, há cerca de seis meses, fracassou devido à escassez de soldados. O governo norte-americano promete 17,5 mil soldados extras para a ofensiva em Bagdá, dos quais apenas uma parte já desembarcou. O novo comandante dos EUA no Iraque, general David Petraeus, deve chegar nos próximos dias. Na reunião com seus generais, transmitida pela TV, Al-Maliki disse: "Ou todos nós ganhamos, ou todos nós perdemos. O mundo inteiro está nos assistindo e esperando que vençamos." "Essas operações devem nos unir quando em breve chegarmos ao campo, embora eu sinta que já estamos atrasados. Esse atraso passou uma imagem negativa, qualquer atraso na implementação do plano será usado pelos inimigos da operação e pelos que querem derrotar a vontade das forças de segurança", acrescentou. Al-Maliki, que é xiita, promete que a ofensiva se voltará contra milícias de todos os grupos religiosos que disputam o poder no Iraque. Já surgem em Bagdá alguns sinais da ofensiva que está por vir. Novas barreiras policiais foram montadas, e há patrulhas do Exército e da polícia no bairro xiita de Sadr City, reduto da milícia Exército Mehdi, aliada do governo. Blindados norte-americanos foram vistos no bairro xiita de Shaab, onde muitas famílias já fugiram da violência sectária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.