Primeiro-ministro iraquiano promete se agarrar ao cargo

Acusado de fomentar sectarismo, primeiro-ministro se recusa a deixar o cargo e promete levar o caso para briga na Justiça

O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 08h30

BAGDÁ - O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, disse nesta quarta-feira,13, que a nomeação de Haider al-Abadi para substituí-lo como primeiro-ministro do país é uma "violação" da Constituição e "não tem validade".

Em discurso televisionado, Maliki disse que todos devem aceitar o veredicto de uma corte federal sobre a objeção apresentada por ele à nomeação de Abadi como novo premiê.

O primeiro-ministro disse ainda que só deixará o cargo sob determinação da Justiça. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Nouri al-MalikiIraqueHaider al-Abadi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.