Primeiro-ministro irlandês diz que permanece no cargo

O controverso primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, anunciou neste domingo que permanece no cargo para a próxima eleição geral e afirmou que na terça-feira, dia 18, vai apresentar aos colegas do partido Fianna Fail (Republicano) uma moção de confiança sobre sua própria liderança partidária. Cowen disse que o voto será secreto, mas se mostra confiante num resultado positivo, acrescentando que seu dever é manter a estabilidade do país e do governo. "Estou novamente animado pelo forte comprometimento de todos os meus colegas e orgulhoso por servir ao lado deles", afirmou.

AE, Agência Estado

16 de janeiro de 2011 | 16h00

A eleição deve ocorrer em março, depois que a aprovação de uma lei financeira atribuirá as medidas remanescentes para o orçamento de dezembro, que para Cowen precisam continuar sendo a prioridade do governo. "Há um trabalho importante a ser feito", acrescentou. "O partido é importante, mas os interesses do país são supremos", disse o primeiro-ministro à imprensa em um hotel próximo aos edifícios do governo, em Dublin. Ele afirmou que não há nenhuma dificuldade entre ele e seus correligionários.

Cowen levou quatro dias para consultar os colegas sobre sua liderança, inicialmente resistindo à pressão para renunciar, após revelações, no fim de semana passado, de que havia se reunido secretamente com banqueiros - teria jogado golfe e jantado com o ex-presidente do agora estatizado Anglo Irish Bank, Sean FitzPatrick.

O líder do Partido Verde, John Gormley, da coalização de Cowen, descreveu o episódio como "golfgate". Mas declarou que a atual discussão sobre a liderança é apenas do partido Fianna Fail, e que o governo precisa se concentrar na aprovação da lei financeira. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.