Primeiro-ministro palestino diz que Hamas fará trégua

O primeiro-ministro palestino, Mahmud Abbas, prevê que os militantes do grupo Hamas concordarão, até a próxima semana, em conter seus ataques contra os israelenses, o que abriria o caminho para uma reunião tripartite liderada pelo presidente americano, George W. Bush. Abbas fez o comentário em uma entrevista a um jornal israelense horas antes do encontro com o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, no qual os dois líderes deveriam assentar as bases para uma reunião crucial com Bush, dia 4, na Jordânia.Um acordo de cessar-fogo com o Hamas, o principal grupo por trás da campanha de atentados suicidas, seria um grande sucesso no plano de paz que Washington está promovendo para pôr fim aos 32 meses de violência. Contudo, Israel disse que a medida seria insuficiente. "Um cessar-fogo não substitui medidas reais para conter a atividade terrorista", disse Raanan Gissin, um assessor de Sharon.Dirigentes do Hamas disseram que estavam estudando a proposta de Abbas. O porta-voz do grupo extremista, Mahmud al-Zahar, declarou à Rádio de Israel que tal trégua também beneficiaria os colonos judeus e os soldados israelenses nos territórios ocupados. Al-Zahar disse que os líderes do Hamas se reunirão na próxima semana com Abbas para discutir uma trégua nos atentados, que mataram centenas de israelenses nos últimos anos.No início da semana, o Hamas apresentou como condição para uma trégua que Israel deixe de atacar os extremistas palestinos, liberte os prisioneiros e detenha suas incursões militares nas cidades palestinas. O fundador do Hamas, o xeque Ahmed Yassin, declarou na quarta-feira que o grupo não deporá as armas voluntariamente até a criação de um Estado palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.