Mario Cruz/Efe
Mario Cruz/Efe

Primeiro-ministro português admite derrota para oposição

José Sócrates parabenizou o líder do PSD e recomendou ao seu partido a escolha de um novo líder

AE, Agência Estado

05 de junho de 2011 | 17h57

LISBOA - O primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, reconheceu a derrota para o opositor Partido Social Democrata nas eleições gerais realizadas neste domingo, 5, no país. Sócrates parabenizou o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, pela vitória e recomendou a seu partido, o Socialista, que eleja um novo líder.

 

Veja também:

linkPortugueses vão às urnas hoje para escolher novo governo

 

Pouco antes, o ministro português da Economia, José Vieira da Silva, havia admitido que as pesquisas de boca de urna e os resultados parciais das eleições realizadas hoje em Portugal indicavam a vitória do PSD, de centro-direita. "Todos os resultados indicam uma vitória do PSD e uma derrota do Partido Socialista", disse o ministro. "Os resultados auferidos nas urnas naturalmente representaram uma alteração na estrutura política de nosso país", prosseguiu.

 

Com 72% das urnas apuradas, o PSD tinha 41% dos votos, seguido pelo Partido Socialista, com 29%. Na terceira posição vinha o Centro Democrático e Social (CDS), com 11%. O nível de abstenção foi de 43,15%, segundo as primeiras informações. Trata-se do mais elevado nível desde as eleições de 1975.

 

O novo governo terá a missão de implementar uma série de medidas de austeridade fiscal em troca de um pacote de resgate financeiro de ? 78 bilhões. A expectativa é de que PSD componha com o CDS para formar uma coalizão majoritária no Parlamento.

 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Portugaleleiçõesprimeiro-ministro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.