Primeiro-ministro tailandês diz que não renuncia

Samak Sundaravej quer proteger a democracia e a monarquia

EFE

07 de setembro de 2008 | 01h34

O primeiro-ministro da Tailândia, Samak Sundaravej, insistiu neste domingo em continuar no cargo para "salvaguardar a democracia e proteger a monarquia", desafiando os manifestantes que ocupam a sede do Governo para exigir sua renúncia.Durante um discurso transmitido pela televisão, Sundaravej semeou dúvidas sobre o patriotismo e a admiração pelo rei, da Aliança do Povo pela Democracia (PAD), que organizou os protestos.Em relação ao estado de emergência declarado desde terça-feira passada em Bangcoc, o líder tailandês destacou que fez consultas com a hierarquia militar antes de decretar a medida de emergência, que autoriza a dispersar pela força qualquer reunião pública de mais de cinco pessoas.No entanto, o chefe do Exército, Anupong Paojinda, aposta no diálogo para resolver a crise política, alimentando os rumores de que Sundaravej poderia ter perdido a confiança do estamento militar como ato prévio a um novo golpe de Estado.O primeiro-ministro também já não goza do respaldo da Coroa, após a demissão do ministro de Exteriores Tej Bunnag, secretário pessoal do rei, Bumibol Adulyadej.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.