Primeiro-ministro turco que diz Finul não pode desarmar o Hezbollah

O primeiro-ministro turco, Recep TayyipErdogan, disse em reportagem publicada nesta quarta-feira que a Força Interina dasNações Unidas no Líbano (Finul) não está autorizada a desarmar amilícia do Hezbollah. Em entrevista publicada pelo jornal internacional de língua árabeAl Hayat, Erdogan afirmou que "as forças internacionais no Líbanonão foram enviadas para desarmar o Hezbollah, isso não está estipuladopela resolução 1.701 (do Conselho de Segurança da ONU)". A resolução teve como objetivo colocar fim ao confronto armadoque ocorreu entre Israel e o Hezbollah em julho e agosto deste ano, eestabeleceu as condições e medidas para a manutenção do cessar-fogoentre as duas partes. "Recebi garantias do secretário-geral da ONU, Kofi Annan, e doprimeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, sobre isso", acrescentou olíder turco, que foi hospitalizado na terça-feira devido a umahipoglicemia, mas recebeu alta na mesma tarde. Além disso, Erdogan disse estar preocupado devido à tensão étnicavivida na região, e afirmou que "o povo iraquiano está pagando opreço". O primeiro-ministro turco advertiu que seria preciso anexar acidade petrolífera iraquiana de Kirkuk ao território autônomo curdodo norte do Iraque, e que isso "causaria graves feridas no Iraque,que cicatrizariam com dificuldade", disse. Erdogan afirmou que não estava preocupado com a presença cada vezmaior dos Estados Unidos na região. "Todo país tem o direito de fortalecer sua influência e seusinteresses, e nossa política é baseada em ganhar mais amigos do queinimigos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.