Primeiro resgatado teria habilidade para sanar falhas

Ávalos, tido como o segundo na hierarquia dos 33, foi escolhido por ser um dos mais calmos e hábeis do grupo de mineiros

Patrícia Campos Mello ENVIADA ESPECIAL COPIAPÓ / CHILE, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2010 | 00h00

O mineiro Florencio Ávalos, de 31 anos, seria o primeiro a ser resgatado da mina San José. Ávalos foi o primeiro rosto a ser filmado, quando descobriram que os mineiros estava vivos, 17 dias depois do desmoronamento da mina. Depois, sairia Mario Sepúlveda, tido como o "show man" do grupo. seguido de Juan Illanes e o boliviano Carlos Mamani Solís, em quarto lugar.

O último será o líder dos mineiros, Luís Urzúa, de 54 anos, também conhecido como Don Lucho. A ordem de resgate, um dos anúncios mais aguardados pelas famílias, foi divulgada pelo presidente chileno, Sebastián Piñera, que estava acompanhando os trabalhos de preparação da operação de salvamento. Apesar de ser jovem, Florencio é o segundo na hierarquia dos 33. O irmão dele, Renan Ávalos, também está na mina. Ele foi escolhido porque é um dos mais hábeis do grupo, capaz de lidar com contratempos durante o trajeto até a superfície. Ele também está encarregado de registrar em maiores detalhes as condições do túnel e informar médicos sobre como se sentiu na subida.

Já Sepúlveda, de 39 anos, ficou conhecido como o cinegrafista do grupo, porque assumiu o comando da câmera quando foi feita a primeira gravação lá dentro da mina. Naquela ocasião, ele aproveitou para fazer críticas à falta de segurança dentro da mina.

"Este é o famoso refúgio. Supõe-se que haveria condições para nós ficarmos no famoso refúgio, mas aqui cortaram a energia, a linha de luz e agora estamos usando só para dormir", diz ele no vídeo.

Juan Illanes, de 52 anos, comemorou seu aniversário dentro da mina, recebendo os parabéns de sua esposa Carmen por videoconferência. Ele foi militar e ficou na trincheira na fronteira durante os anos de crise entre o Chile e a Argentina.

E o quarto será o boliviano Carlos Mamani Solís, de 24 anos. O presidente boliviano, Evo Morales, anunciou que pretende levar Mamani a Bolívia quando vier à mina, hoje. E prometeu a ele um emprego nas minas de Potosí.

O fato de Mamani ser incluído entre os primeiros resgatados é visto como um gesto de boa vizinhança do presidente chileno, Sebastian Piñera, para Evo. Era o quinto dia de Mamani na mina, nunca tinha sido mineiro. Sua mulher, Verónica Quispe, disse ao Estado estar muito ansiosa.

NÚMERO

33

Os místicos estudam a influência do número de mineiros presos. O dia 5 de agosto, quando a mina desmoronou, caiu na 33ª semana do ano; o túnel demorou 33 dias para chegar aos mineiros; e o trajeto terrestre da mina até o hospital de Copiapó deve durar 33 minutos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.