REUTERS/Christopher Pike
REUTERS/Christopher Pike

Primeiro voo comercial entre Israel e Emirados Árabes pousa em Abu Dhabi

Operado pela companhia israelense EL AL, voo partiu do aeroporto internacional Ben Gurion, em Tel Alviv; países normalizaram relações recentemente

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2020 | 09h59

TEL AVIV - O primeiro voo comercial direto entre Israel e Emirados Árabes Unidos pousou nesta segunda-feira, 31, em Abu Dhabi. O voo LY971, operado pela companhia israelense EL AL, saiu do aeroporto internacional Ben Gurion, em Tel Aviv, e chegou ao país árabe transportando uma delegação israelense e americana, liderada pelo genro e assessor de Donald Trump, Jared Kushner.

O avião pousou em Abu Dhabi às 15h39 no horário local (08h39, horário de Brasília), depois de sobrevoar a Arábia Saudita, um fato também inédito, de acordo com o plano de voo do site de informação aérea FlightRadar24.

"É um voo histórico e esperamos que seja o início de uma viagem ainda mais histórico para o Oriente Médio", afirmou Kushner antes da decolagem, em uma pista repleta de bandeiras de Israel e dos Estados Unidos.

Emirados e Israel anunciaram em 13 de agosto um acordo para normalizar suas relações, oficiosas há vários anos. O país se tornou o primeiro da região do Golfo a estabelecer relações com Israel e o terceiro do mundo árabe, após os acordos assinados pelo Egito, em 1979, e Jordânia, em 1994.

Desde que o acordo foi anunciado, com mediação dos Estados Unidos, ministros de Israel e dos Emirados multiplicaram os contatos por telefone e as autoridades de Abu Dhabi revogaram no fim de semana passado uma lei sobre o boicote a Israel, em vigor há 48 anos.

O grande passo adiante foi este voo direto entre Tel Aviv e Abu Dhabi. No voo comercial que decolou de Tel Aviv viajaram, além de Kushner, o conselheiro dos EUA para a segurança nacional, Robert O'Brien, e o enviado dos EUA ao Irã, Brian Hook.

Sobrevoo na Arábia Saudita

Do lado israelense, viajaram neste primeiro voo cerca de 20 funcionários e assessores do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em questões relacionadas ao Golfo, como por exemplo Meir Ben Shabbat, chefe do Conselho para a segurança nacional.

Israel e Emirados são geograficamente separados pela Arábia Saudita, país com o qual Israel não mantém relações oficiais mas que não impediu que o avião sobrevoasse seu território.

Ao chegar em Abu Dhabi, as delegações a bordo do avião se reunirão com autoridades dos Emirados durante dois dias, dedicados à negociação de questões relativas à segurança, ao comércio, cooperação científica, turismo e procedimentos de obtenção de visto para cidadãos de ambos os países.

Este acordo entre Israel e um país árabe poderia abrir a porta para outros semelhantes. Na semana passada, o chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, visitou o Sudão, Bahrein e Omã, com o objetivo de convencer esses países a seguir o exemplo dos Emirados. Além disso, Benjamin Netanyahu já se reuniu nos últimos meses com líderes do Sudão, Chade e Omã.

Nesta segunda-feira, as autoridades israelenses anunciaram que a partir de agora os Emirados fazem parte da lista de países "verdes" em relação ao coronavírus. Isso significa que os passageiros do avião da EL AL que voltarem de Abu Dhabi para Israel não precisarão realizar um isolamento de duas semanas./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.